quarta-feira, 11 de julho de 2012

Tudo novo de novo: voltei!

Discípulos!

 Ou melhor, pacientes (quem espera 3 meses - quase 4 - por um novo post se enquadra na catiguria, não?)!

Adivinha quem tá de volta cheia de novidades e sem nenhum kilinho a menos (muito pelo contrário)??? 

Tchãnããããm! Eu!

 Cara de pau? É, e da mais alta qualidade.

 Deixa eu, pelo menos, me explicar?

Então tá. Brigada.

Ontem, terça feira, pós orgia (gastronômica) feriadística, no cinema, com a cara lambuzada de manteiga do mais alto teor gordural, estava eu, assistindo a mais nova comédia (proposta ou como quer que se descrevam os filmes dele) de Woody Allen: Para Roma, com amor.

 E ela estava lá, ela, a minha, a sua, a nossa musa inspiradora: Penélope!

O modelito não era lá dos melhores, mas, quem liga? Era ela e só ela é ela.

 O fato é: logo que ela apareceu minha amiga me olhou e disse: bikini branco!

 E eu, na maior cara de pau da vida, com um pote de 5 litros de pipoca no colo, concordei (não sei com o quê, mas concordei, rs).

 Aí, depois de relutar, fugir, me esconder, resolvi voltar e admitir: abandonei o plano, pessoal.

 Mas... ainda é 2012, logo, a proposta "porhojechega2012" ainda é válida, certo? Todas concorda? Posso passar às justificativas? Ok.

 Vocês, discípulos, devem ter notado que eu passei por uma leve crise. Levemente pesada e intensamente transformadora.

 Depois do meu último emprego no mundo corporativo, depois de mais uma insatisfação, resolvi me dar o luxo do ócio e parei pra pensar.

 Todo mundo sabe que eu fiquei 1 mês lendo à beira da piscina, que passei outro mês na casa dos meus pais fazendo air climber à beira da piscina (piscina, que saudade).

 E depois disso? (considerando que 99% dos meus seguidores me têm no fb, não tem muita graça, mas vamos fingir que o Brasil inteiro vai ficar extasiado com as notícias bombásticas que eu vou contar, fechô?)

Nunca tive férias tão frutíferas. Um montão de questões foram reformuladas, um tantão de pensares e dizeres foram revistos e uma tonelada de atitudes foram tomadas.


Mudei de emprego, mudei de setor, mudei de faixa salarial, mudei de estilo de vida, conheci o trabalho voluntário, fiz um montão de novos amigos, ganhei novas chefes incríveis (não, elas não conhecem o blog - ainda, mas não é puxa-saquismo, é demonstração genuína de admiração), fui pra Rio+20 (Cúpula dos Povos na), até pra jornal de grande circulação eu escrevi!

Me diz se dá tempo de pensar em dieta com tanta vida acontecendo?

 Poizé, não deu. Fui negligente e descontei booooa parte da ansiedade no garfo.

Porém, nem tudo está perdido! Eu só engordei 1 kg. Ok, vai? Pra quem andava comendo pizza numa média de 2 vezes por semana isso não é NA-DA.

E eu e minha calça jeans devemos essa vitória à minha linda, amada, querida, idolatrada, salve-salve, bicicleta!

Agora ela é minha academia, meu busão, meu carro, minha amiga, minha namorada, meu querubim (lembrei daquela música dos travessos, é muito amor #querochorarlágrimasdefelicidade). Duvida? Olha minha foto do instagram de hoje então:


Do domingo no parque ao trabalho, é ela que me leva e, mal ou bem, ando uns 15km por dia (imagina o quanto eu tenho comido! rs).

Então tá, o principal dilema da vida foi sanado: tô re-a-li-za-da profissionalmente!

E agora? Partiu pro próximo desafio?

Ser a próxima musa do verão? Correndo pelas areias da Colômbia, cabelos ondulados ao vento(ornamentados por uma flor) arrasando no bikini branco? Verão, me espera que eu tô chegando? É isso que eu tô ouvindo galera? (galera responde: siiiiiiiiim!)

Primeira parte do desafio: sair ilesa de um sábado regado feijuca e sambão.

Cenas dos próximos capítulos? Semanalmente (sejamos sensatos: metas possíveis).

Por hoje, chega!

segunda-feira, 26 de março de 2012

Energia(aaa)!

Quando eu tinha 14 anos fiz a viagem da vida, fui pro Club Med Itaparica com a minha família, aqui ó:



Na época não podia existir lugar melhor no mundo: um monte (leia-se 20, no máximo 30) de adolescentes dançando axé na boate (eu e minha irmã mostrando todo o conhecimento adquirido nas aulas diárias de axé da academia, pagando altos micões requebrando ao som de Xandy: MANDEI MEU CAVACO CHORAR, ziriguidum, ziriguidum) com os GOs (gentis organizadores - monitores) mais gatos do Brasil e do Universo.

Eu não era lá muito fã de atividade física (não considerava o axé ginástica, mas um dom), mas foi uma semana em que fiz caminhada todos os dias, afinal o gentil organizador que guiava a caminhada era o muso do verão.

Minha irmã se apaixonou perdidamente por ele e nós passamos o resto do ano lembrando com saudades daquela lindeza toda, inclusive do chavão que ele usava pra puxar a caminhada: ENERGIA, UUUUUUUUUUUUUH! MAIS ENERGIA, UUUUUUUUUUUH!

Nada criativo, mas todas as (mulheres) hóspedes do hotel, de 8 a 80 anos, eram fãs e tietes do rapaz e caminhavam como cordeirinhos às 7 da manhã de férias na Bahia, todos os dias, e o "ENERGIA" ecoava aos 4 cantos do hotel.

Mesmo com uma orgia gastronômica típica desses resorts, todo mundo acabou emagrecendo, afinal Lucas (o GO muso) em conjunto com o Harmonia do Samba, eeepa, não tem pra ninguém!

A viagem, foi ótima, passou, chegou o próximo ano.

Depois de Bin Laden bombardear as torres gêmeas, mudar o curso da história e acabar com minha viagem de 15 anos pra disney (na época era o impacto que eu sentia), fui pra Costa do Sauipe pra usar o valor já pago à agência pelo meu sonho destruído, eu não podia estar mais p da vida, mas...

A caminho da piscina, o que eu escuto? Um chavão, só que de outro jeito: "ENERGIA, PORQUE VOCÊ TÁ NA BAHIA". Bem chatinho.

Minha irmã, que nunca superou esse amor (pelo GO), logo disse: tsá, olha esse GO tentando imitar o Lucas.

E NÃO É QUE O TAL DO LUCAS MUDOU DE EMPREGO? Ele tava lá, no hotel mais chato de todos (o que recebe gringos pra convenções), dando aula de golf na piscina (wtf?).

O ânimo da viagem mudou, nós frequentamos a piscina do hotel mais chato da vida pra seguir nossos líder messiânico, jogamos pólo aquético, golf, volley na piscina, se ele quisesse a gente jogava até bocha, o importante era aproveitar cada segundo ao lado do nosso muso. No fim das contas a viagem que deveria ser bode, foi até que bem legal, quando você tem 15 anos, tudo pode ficar bem legal, afinal, só o fato de dormir em quartos separados dos seus pais já é a maior curtição. O lugar ainda tinha uma tabacaria que vendia cigarro de cravo, oh God! Melhor impossível! (aquela época que vc quer fumar pra ser descolado, sabe?). E, pra terminar, teve um bingo e eu ganhei 3 pingentes da H. Stern, 1 na vertical, outro na diagonal e outro na cartela cheia. Como diria minha amiga (que uma vez se levantou no meio do cinema, antes do filme começar, pra aplaudir o trailer): PRA MIM JÁ DEU!

Enfim, contei essa "pequena" historinha pra mostrar pra vocês que nessa semana acordei com o pé direito e com boas vibrações, cheia de energia. E se eu não explicasse o título do post não teria o mesmo impacto.

Vim passar a semana na casa de mamãe, no interior, acordei cedinho, fiz 2 horas de ginástica, do ladinho da piscina, acompanhada da Nina (a cachorra). Sair de SP pode ser muito terapêutico e colo de mãe, por mais adulta que você tente ser, cura qualquer coisa.

Pra terminar, um detalhe: enquanto fazia meus agachamentos pude ver um prenúncio daquele risquinho que coxa de gente gostosa tem, sabe? Então, discípulos, o bikini branco pode vir só no próximo verão, mas se a energia, eu, a bike e o air climber permitirem, aquela foto prometida há muito, há de ser publicada.

E que o resto da semana continue nesse pique!

É isso aí.

Por hoje, CHEGA!

quinta-feira, 22 de março de 2012

STAND BY você está ELIMINADO (será?)

Ai gente, que vergonha, que vergoooonha que me dá de escrever aqui.

To tão, mas tão em dívida com meus seguidores (se é que os discípulos da Mari do BLOG ainda existem) que já não sei como recompensar todo esse tempo de inadimplência, que acabo adiando minha tarefa todos os dias.

Mas, ontem fui a um aniversário e vi aqueles amigos de amigos que vemos sempre (sempre = duas ou três vezes ao ano, mas todo ano). Aquelas pessoas que você acha que são super legais, e que super seriam seus bests se você ainda estivesse na facul, mas que não cabem no hall das amizades principais porque a essa altura do campeonato a gente tá muito chato ou ocupado ou compromissado ou muito velho mesmo e nossas agendinhas telefônicas já estão cheias.

É, meio nada a ver, mas ok, prossigamos.

Enfim, encontrei várias pessoas queridas, mas com as quais não tenho muito contato e 3 delas (T-R-Ê-S) vieram reivindicar por posts no blog. Não é MUITO legal? Não é muito legal que existam pessoas que estavam curtindo minha penelopecruzarização e que eu nem tenha pedido que elas fossem fiéis a mim?

Mano, é muito legal!

Mas... eu acho que tô decepcionando tooooodo mundo e a mim mesma. Ok, eu continuo emagrecendo, cortei a franja e tirei o aparelho (menina, queria ter mais oportunidade de sorrir, porque, orra), do dia 2 de janeiro pra cá bastante coisa mudou, alguns kilos e algumas medidas foram embora, mas está longe de ser uma revolução.

Está longe de ser uma revolução e eu admito que me empolgo MUITO com tudo o que começo e paro as coisas no meio do caminho.

E agora com toda essa história de me reinventar todinha, de reinventar meu corpo, meu cabelo, meu sorriso, minha carreira, minha vida amorosa (afinal, ser saudável é legal, mas ter um namorado também deve ser) o resultado não foi o esperado e to sem emprego, sem perspectiva, não to levando minha dieta super a sério, to sem dinheiro, sem paqueras (afinal, quão interessante é uma pessoa que passa o dia mandando currículos, andando de bicicleta e estudando processo civil?) e, pra melhorar, to chata pra caralho e, pra melhorar médio invejosa, cobiçando toda e qualquer demonstração de sucesso na vida alheia. É, me perdi.

Chega aquele momento em que você já não faz a menor ideia do que quer ser e de onde quer chegar, que em 5 minutos uma oferta parece irrecusável, no seguinte parece uma merda e no outro parece o maior desafio já enfrentado desde a era do gelo.

Só sei que comer pipoca assistindo a 6 episódios seguidos de New Girl não vai resolver nada e que, seja pra voltar à estaca zero, seja pra evoluir, seja pra mudar o manequim, seja pra conseguir um emprego novo, seja pra cumprir as previsões da sua astróloga, seja pro que for, o importante é tirar ânimo não sei de onde e fazer todo esse astral tpmístico e derrotado evaporar.

Como? Não sei, mas amanhã eu conto pra vocês se a carruagem andou ou virou abóbora.

Por hoje, chega!

quarta-feira, 7 de março de 2012

Brainstorming

Olha quem tá aqui!

SIM, a musa inspiradora desse Brasil brasileiro, enquanto toma seu tardio suco detox, está de volta!

Não é descaso, people, eu juro. Acho que pelo meu último post vocês sacaram qualéqueé a pegada da vez. Tá rolando tanto pensar e tanto programar que o tempo pra exteriorizar tá exíguo. É tanta vomitação de palavra que nem foto tem hoje.

Tenho organizado tanto o que tenho pensado e planejado nos arquivos daqui da minha cabeção que a pasta "detox" não foi alimentada. É claaaaro que o detox e minha iminente magreza fazem parte dos meus planos, mas acabarão sendo consequência de toda a minha iminente regeneração.

NÃO, eu não vou abandonar vocês, mas... não posso prometer posts diários. Posso prometer dedicação diária, exercícios diários, pratos gostosos/lights diários, embelezamento diário, mas, o diário, não sei se prometo, minha carreira (e todo o resto da vida que acaba estando diretamente ligado/dependente a ela/dela) e seu rumo, isso sim, merece um diário agora.

But, isso é problema meu e não tenho que ficar falando pra vocês de cursos de extensão, pós graduação, Direitos Humanos e 3º setor, né? (quem tiver interesse - ou contatos ou vagas, manda um email pra tia)

Devo falar que nessas minhas férias eu tenho dedicado muito tempo a mim, que tenho cuidado da minha mente, do meu corpo e da minha alma (pro-fun-do).

Cancelei meu plano da academia (money, money, money, money, MO-NEY!). O sol e o ar livre têm me chamado. Tenho feito exercícios diários, tenho me apaixonado mais e mais pela minha bike, que me acompanha pelo menos 2 vezes na semana (e aparece na Rede globo - plim! plim! Ainda nessa semana). Decidi colocar uma touquinha, com o silicone quase petrificado pelo desuso, e dar um tchibum na piscina e me aventurar em um medley, consegui (com muito esforço) nadar por 1 hrinha, e foi tão bom. Inaugurei o "air climber" (um step desses que vende pela tv) que ganhei de natal da mami e assisto a Seinfeld suando a camisa e enrijecendo as coxas, goood!

Tenho inventado receitas novas, uma delas foi a coisa mais grudenta e horrorosa que comi nos últimos tempos, fiz um refogado de berinjela com proteína de soja e ficou com gosto de borracha com shoyu, não rolou, mas a maioria tá rolando e comer em casa tem sido bem barato e bem bom.

Pra cuidar da alma fui alternativa: me consultei com uma astróloga que me deu um banho de boas previsões e um cutucão "abre o olho". E ter o melhor ascendente que um mapa pode ter me deu aquele chacoalhão positivo que todo mundo precisa em algum momento da vida.

Tenho lido muito a Biografia do Hemingway (tô culta ou o quê?) que também tem sido muito positiva no quesito chacoalhão. O cara era o maior beberrão da história, mas se tem alguém que não deixava a peteca cair, esse alguém era ele.

Essa semana teremos novidades, afinal, meus queridos do PVM (pedal da vila madalena) estarão na globo e meu boom como coadjuvante da matéria do Bom dia, Brasil taí! rs

Pois, mantenhamos a peteca ereta e vamo que vamo!

Por hoje, chega!

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

RESTART!


Apesar de o meu melhor amigo me chamar TODO O SANTO DIA de EMO, calma, eu não sou.

A foto colorida acima e o tema do dia servem apenas, e tão somente, pra ilustrar a ordem do dia: RECOMEÇAR!

Já que todo o resto da minha vida tá fodida (desculpem o vocabulário agressivo), o mínimo que eu posso fazer é cuidar de mim.

Bem, bem, vamos aos fatos para atualizar os discípulos dos últimos acontecimentos:

nº 01 - Me "desliguei" do meu trabalho. É, a fiRma não deu certo, adorava meus companheiros de trabalho (e ainda adoro), mas estava mega desmotivada, trabalhando só pra pagar as contas (e olhe lá). Eu sei que muita gente pensa que isso é argumento de gente mimada, mas foi tanto estudo durante a vida toda, curso disso, curso daquilo, especialização, laboratório, palestra, workshop, cursinho, faculdade, intercâmbio acadêmico, cursinho de novo... Ãnfãn, depois de tudo isso o mínimo que eu espero do meu trabalho (além de retorno financeiro $cha-ching$) é realização pessoal. Sempre fui MUITO afobada e sempre pulei de um emprego/estágio para outro, sem pensar exatamente no que eu quero. Eu ainda não tenho nem um ano de formada e já estou exausta, quequéisso? O último ano da faculdade foi tão tumultuado e a busca pelo novo emprego foi tão desesperada que deu nisso, aliás, não deu em nada. Cansei desse afobamento sufocante e acho que o melhor agora é respirar.

nº 02 - Sabem aquele mocinho lindo que eu comentei no último post? Então, ele é mesmo lindo, é mesmo um fofo, só que não tem nada de príncipe. Vamos aos fatos: conheci ele em uma noite, nos bloquinhos de carnaval da Augusta, trocamos telefone, mandei aquele sms clássico depois de esperar as clássicas 48 horas (ansiedade não pode, dizem por aí), ele respondeu, passamos o carnaval todo nos comunicando (e ele em Salvador). E eu pensei, o mínimo que uma pessoa que perde 05 minutos do carnaval de Salvador pra se lembrar da minha existência, são os meus 05 minutos. Aí, me empolguei, meu saldo no carnaval foi ZERO, não via a hora de voltar pra SP e encontrar o rapaz. Voltei, nos encontramos. Uau, tudo a ver! Até de Seinfeld ele gosta (achei que fosse só eu e minha irmã)! 1000! Expectativas superadas. Aí veio o facebook e me deu uma de direita: PÁ! ACORDA, bebê, ele namora!

Ó céus, ó vida, ó azar! Eu não tenho o direito de me apaixonar?

Aí né, cabeça desocupada: oficina do diabo, rolou uma fossa ontem e me despedi das semanas intox comendo pizza, bebendo cerveja e falando mal da vida.

Hoje acordei, nem feliz, nem empolgada, o importante é que eu acordei. E acordei antes do meio dia, ou melhor, antes das 8. Fui ao mercado e recheei minha geladeira. Mentira, as sacolinhas (não entendi se a história da sacolinha vai rolar ou não vai rolar, anyway, ainda tem sacolinha) ainda estão lá na cozinha esperando pela desova.

Resolvi escrever aqui antes de mais nada, assim, já traço minhas obrigações do dia por aqui e estabeleço algumas metas pra esse período de limbo profissional que eu tô passando.

Ingredientes do suco detox, peixinho, legumes, verduras, suco de laranja, arroz integral, barrinhas de cereal: CHECK!

Ainda não me pesei desde de que fiz a pausa pro carnaval, but, pelas minhas medidas e caimento das roupas, tá tudo em paz, a celulite voltou, afinal, tô há praticamente 2 semanas sem malhar (e vivendo de cerveja).

Palma, palma, não priemos cânico: hoje vou andar de bike no parque, vou correr, vou fazer musculação, sauna, tudo o que eu tenho direito. Se rolar um sol, OMG, até sol eu vou tomar!

É isso aí, meu povo, vamos cuidar da carcaça e da cabeça, o resto será consequência. Reforma geral: PARTIU!

Conto com vocês!

Por hoje, chega!

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

Toc toc!

Tem alguém aí?

Vocês ainda se lembram da tia aqui?

Vocês não arrumaram outro blog pra seguir e outra pessoa em quem se inspirar, né?

Vim aqui prestar contas, antes que vocês me abandonem de vez.

O motivo do abandono é: tô desmotivada (acho que vocês perceberam, né?).

Não abandonei a dieta, não tô almoçando hamburguer todos os dias e jantando panqueca com sorvete (hum, que bela ideia), mas vamos dizer que estou em um período de pausa, estagnação, crise.

Descumpri minhas promessas, parei de fazer minhas pesquisas, nem suco detox eu tô tomando. Medo de desistir.

O joelho machucado ajudou, a semana de carnaval então...

Essa semana, ai, essa semana, ela começou lindamente, segunda feira de ressaca e nas nuvens depois de conhecer um gatinho lindo nos bloquinhos de carnaval da vida (é, magreza, auto estima e roupas velhas que não serviam e caem como novas mudam a vida #fato (haha, acho MUITO tosco quem fala #fato e se acha descolado)).

Lá na augusta estava eu. Augusta no domingo, pois é, mas não resisti e curtir o Simoninha e os acadêmicos do baixo augusta foi sem dúvida a melhor parte da minha semana.

Depois disso muitas águas rolaram e muitas muitas muitas emoções, teve aniversário da amiga, teve despedida, tiveram muitas e muitas e muitas taças de cosmopolitan.

Cadê, cadê, CADÊ o foco?

É tudo culpa de fevereiro. O mês de fevereiro tem um efeito destrutivo sobre mim, é sempre uma merda, eu sempre tô na merda e esse ano não foi diferente.

Tô numa crise financeira, psicológica, repensando minha vida, meu rumo, minha carreira, você nem imagina. Crise.

Não sei se caso ou se compro uma bicicleta. Mas, como já comprei minha bicicleta, que eu amo como se fosse um marido, vamos tratar de utilizá-la

Hoje prometo pegar minha bike e rodar toda São Paulo, preciso pensar, mudar, focar, pensar e pensar.

Voltando à dieta, te informo que se a vida fosse uma semana de carnaval as pessoas seriam magras e morreriam antes dos 30, mas magras.

Se foram 6 kilos e depois do carnaval a gente volta a conversar. Vou pegar minha bike, meus livros e minhas ideias, arrumar minha mala porque amanhã, 9 amigas vão descer a serra, pisar na jaca, abrir alas e fazer a jiripoca piar.

Discípulos, não desistam de mim. Eu não desistirei de tus!

Por hoje, chega!

sábado, 11 de fevereiro de 2012

Ô abre alas que eu quero passar!

Que ruuuufem os tambores!!!! Está aberta a temporada de CAR-NA-VAL!!!

Esse ano o budget não me permitiu ir à cidade maravilhosa, mas os bloquinhos do Rio invadiram São Paulo e eu vou, de band aind gigante no joelho, sasaricar!!!

aLALAÔ-ÔÔÔ! MAS QUE CALÔÔÔ!!! ... Mande água pra iô iô, mande água pra iá iá! ... ALLAH ALLAH! ALLAH MEU BOM ALLAH!

Bangalafumenga, Exalta Rei, Alagados do Rio Verde, to chegando!

E você, vem comeeego!!!!

Por hoje, chega!

*e umas fotinhos do melhor carnaval da minha vida, pra você, discípulo!*
(tchiquidum tchiquidum tchiquidum)

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

Senta aqui no divã da tia!


Terapia. Quem é que não precisa?

Atire a primeira pedra quem nunca passou por uma situação de conflito, mudança ou desespero e logo mergulhou em uma panela de brigadeiro pra afogar as mágoas. Ou comeu uma panela de strogonoff (gelado mesmo) com colher? Ou chocolate com nutella (é, essa pessoa existe e ela é magra!)? Ou um pote de sorvete, que nem em seriado americano? Ou passou o carnaval estudando e comeu cerca de 5 kg de pipoca nesses 4 dias (culpada)?

E quem nunca começou uma dieta toooda empolgada, contando pra todo mundo que mudou de vez, que já perdeu 3 kg e agora faltam SÓ 7, mas que agora vai. E na 1ª dificuldade, passa bem, desvia da 2ª, mas na 3ª se pega comendo um hamburguer maior que a própria cabeça?

Ou aquela doida que resistiu ao hamburguer ou ao chocolate quase bate no namorado que não esticou a fronha do travesseiro direito?

Pois é, TODO MUNDO que já fez dieta, já tentou fazer dieta ou precisa de dieta já deu uma de louco, já saiu soltando os cachorros em qualquer pessoa que se aproximasse ou se colocou de castigo e se isolou do mundo pra não cair em tentações.

É, eu não furei a dieta essa semana, mas eu me incluo no último exemplo. Essa semana to beeem quetinha, não to afim de tomar caipi fake nos hh's. Essa semana tô de castigo e não tô tendo acesso à minha maior terapia, a malhação.

Já fazem 4 dias que tô sem endorfina e que eu cuido do meu joelho como um filho, na esperança de ele cicatrizar direitinho e não me dar problemas quando eu colocar meu tênis de novo ou montar na minha bike (ai que saudade dela), mas ainda não tá 100%, maldita mitose...

Tenho tentado investir em outros prazeres, mas o fato de ter subido na balança e ter perdido só 300 gramas em relação à semana passada me incomodou muito.

Depois disso resolvi não me colocar pra baixo, resolvi parar de pensar tanto na dieta e fui me dedicar a coisas que não faço por não ter tempo, fui jantar no shopping (meio que furei a dieta do seca barriga que não permite sal e comi toda a parte light de um buffet árabe, como foi bom!), depois peguei um cineminha e vi um filme muito bom/muito estranho e voltei de táxi pra casa, um luxozinho de vez em quando não mata ninguém, né?

Hoje fui a um dos meus lugares preferidões, o pão de açúcar, e fiz comprinhas, depois xeretei receitinhas e fiz um cozido de peixe que ficou lindo e sensacionalmente gostoso.

Cozinhar sem pressa ouvindo Madonna no último volume pode ser terapêutico. :)

Felizmente, claro que com altos e baixos, tô vendo que tô no caminho... Na Women's Health dessa semana saiu uma matéria exatamente sobre isso, "regime no divã".

Pois... orgulhosamente posso dizer que cumpri to-dos os passos recomendados pelo estudo que eles apresentam e pela terapia que eles propõem! São eles:
- comunicar amigos, familiares e pessoas próximas: check;
- abastecer a geladeira de comida saudável: check;
- escrever seu manual de auto ajuda (o blog, não?): check;
- adquirir o hábito de ir ao mercado semanalmente: check (pão de açúcar s2);
- pedir um prato bonito e saudável no shopping: check;
- desabafar (sempre): check;
- evitar alimentos viciantes: check (o mês detox é prova viva disso);
- exercitar a paciência, praticar o não, eliminar guloseimas e vícios: check;
- depois de um mês, fazer as contas e CELEBRAR: FEITO!!! \O/;
- não exagerar na bebida alcóolica: check (apesar do deslize);
- refletir diariamente sobre o que se tem aprendido no processo de emagrecimento: check, check, check!

O ponto é, não enlouquecer de jeito nenhum. A dieta é uma forma de mudar a vida para melhor, não é uma obrigação é uma escolha.

Surtou? Respire, repense, reveja.

E... saúde mental antes de mais nada!

Por hoje, chega!

terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

O pequeno grande time

Alguém me explica o que é acontece com a vida? Com São Paulo? Com os freios das bicicletas e dos carros?

E comigo? Quem é essa pessoa rabugenta que se apossou do meu corpo, explica?

Tudo isso é resultado da equação falta de endorfina, falta de chocolate, falta de cerveja, falta de outras coisas que não posso revelar (hum, que mistério)?

O anjo da guarda dos condutores de veículos em geral resolveu se rebelar por causa da greve dos motoristas de ônibus e fazer greve também?

Pois é, não bastasse meu capote de domingo, agora, sem ferimentos, mas com maiores danos, minha irmã bateu o carro (enquanto ia me buscar pra eu não ter que pegar busão com o joelho machucado, oin, que fofa).

O que fazer? Existe luz no fim do túnel? Qual a saída? Seria sair encapada em um colchão daqui em diante? Mudar ou... mudar de vez? (Vanucci, pra sempre te amarei)

E essa atitude rabugenta e grossa NÃO TEM NADA A VER? Um tombo é só um tombo e uma batida é só uma batida, não é mesmo?

Sem ser Poliana, mas adotando um pouco a filosofia de um dos melhores filmes da minha infância: O pequeno grande time (little giants):


Um bando de losers que queriam ser winners e conseguem com muita luta, muita garra, muita força e emoção (tipo o curínthia), claro que com a ajuda do lindo do gasparzinho.



Oin, lembra dele?

Não que eu seja (tão) loser, mas com essa atitude de me sentir derrotada, que é uó, to chegando lá! Aí, no meu momento reflexão do busão fiquei lá, matutando depois desse dia tenebroso e comecei a lembrar das partes boas dele, dentre elas, fazer dieta.

Só que essa semana, em equipe!

Pois é, minhas amigas de fiRma, Thayne e Mayara se juntaram a mim na dieta seca barriga e, pra facilitar a vida, cada uma de nós vai preparar o cardápio do dia, nesses 4 dias da dieta mais rock'n roll da vida!

Hoje a Thayne preparou Salmão com camarões, tomates assados, legumes grelhados, digno de lamber os beiços. Não é fofo isso? Que dedicação da mocinha?

Aí hoje a Mayara já me ligou pedindo dicas do peixinho que ela tá preparando, com berinjela assada, nhami. Num é fofo isso (DOIS)?

Pois essas moçoilas têm sido superultramega encorajadoras, revisando meus posts, dando um "interessante, legal, engraçado", acompanhando de pertão meus dramas, comprando remédio pro meu machucado e aturando meus maus humores.

Até me acompanhar na dieta? (Tudo bem que minha teoria de engordar quem está ao meu redor pra parecer mais magra foi por água abaixo) Acho que posso classificar esse trio como um time.

Tem também o negão que tira as fotos com o único celular bem sucedido da tchurma (e se acha - até é - médio filósofo) e o MALA, que só atrapalha, me incentiva a beber tequila, tira sarro do meu jeito patoso de andar, mas é engraçadinho, então, ok. E o boy magia que enfeita nossas tardes com seus cabelos de propaganda de shampoo (não divoolgay porque eles são meninos, né, devem achar médio tosco isso aqui se pá).

É isso, o post de hoje vai em homenagem ao time que participa ativamente e ajuda a animar essa bagaça aqui!

Força, garra e emoção (tem um grito de futebol assim, não tem?)!


Por hoje, chega!

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

Caiu? Bateu? Doeu?

Fica de molho que passa. ¬¬

10 da noite e eu aqui, na frente da TV assistindo às "mulheres ricas" comerem picanha e chocolate na Argentina.

É, eu adoro uma boa televisão ruim, confesso. Deveria até estar curtindo meu ócio compulsório, mas, o que eu mais fiz nas minhas horas vagas foi pesquisar métodos de cicatrização rápida, alimentos cicatrizantes, pomadas, etc, etc, etc.

Segui uns conselhos dos meus novos amigos bikers, que, coincidentemente, também levaram seus tombos ontem (sacanagem do universo fazer isso com quem acorda domingão às 8 da matina).

Pois bem, montei meu kit, passei o dia todo limpando e hidratando a minha ferida (eca), cuidando do joelho ansiosa, pensando em quantos dias eu poderei voltar pra pixta.

Sim, hoje eu tava BEM chata (e o post de hoje tá meio cuzão, que nem eu, maaaas, tem receita emagrecedora no final, então fica cumeego). Reclamona, com dó de mim, andando que nem o robocop e gemendo a-ai, a cada 12 segundos (mas que tá doendo, tá).

As últimas vezes em que me estatelei tiveram motivos beeeem diferentes, ou seja, cana. Né :P Acho que eu não lembrava da sensação de não curtir um tombo, nada legal.

Não lembrava também de curtir tanto essa história de mexer minhas articulações. Exercício, pra mim, sempre foi uma obrigação, nunca um prazer e, agora que isso tá mudando de figura, pensar em ficar 1 semana de molho me deixou de-so-la-da.

Também me deu um medinho de não emagrecer essa semana, afinal eu não tenho uma super facilidade pra perder peso e... o carnaval na praia taí!

Felizmente eu sou compulsiva, compro tudo o que vejo pela frente, incluindo minhas revistinhas mensais e... na NOVA desse mês saiu uma receita "seca barriga", aí, como vou ter que ficar uns dias sem me mexer e não vou precisar de taaanta energia pra ficar abundada na frente do meu computador trabalhando, resolvi provar.

A dieta promete secar 25 cm de cintura em um mês e, pra mim, que já estou de dieta, já é BEM restritiva, mas só nos primeiros 4 dias.

O primeiro passo é.. adivinha? Eliminar toxinas (meu novo lema)! Pra funcionar, você deve tomar uma água desintoxicante, á "água de Sass"(receita abaixo) todos os dias, entre as refeições. Além disso, eliminar o sal, industrializados, carboidratos, frituras, vegetais crus, álcool, café, chá, chocolate quente e suco de frutas cítricas. Difícil, né?

O segredo está na inclusão de uma unidade de gordura do bem em todas as refeições e em não ultrapassar 1.200 cal. Algumas sugestões fáceis de encontrar pra vocês:



Receita da água de Sass

Ingredientes
• 2 litros de água
• 1 colher (chá) de gengibre moído na hora
• 1 pepino médio descascado e cortado em fatias finas
• 1 limão médio cortado em fatias finas
• 12 folhas de hortelã


Dizem por aí que tem gente que chegou a perder 12 cm só nesses 4 primeiros dias, acho impossível, mas... Vai que???

Simbora ficar com uma cinturinha de pilão?

Por hoje, chega!

domingo, 5 de fevereiro de 2012

O sol saiu e eu também!

Fim de semana com clima de férias! Nada de ficar dentro de casa: o sol saiu e eu também!

6ª foi dia de não fazer hora extra, sair cedo do job e ir comer comidinha gostosa com os amigos da firma e depois papear, dar risada até cansar, perceber que ficou tarde pro busão e dormir na casa da amiga.

Sábado foi dia de continuar o dia inteiro com as amigas, dia de acordar cedo, tomar café da manhã na rua, parar na banca e comprar revistas, fazer compras, fazer mais compras, ser turista na própria cidade, passear na Benedito, receber visitinha da mãe, visitar as escolas de samba no sambódromo. Dia de esgotar a bateria, mesmo. Delícia!

Domingo foi dia de pedal, mais um, meu 2º, com direito a anjo da guarda e fotógrafo particular! De pinheiros à Lapa, da Lapa à Luz, da Luz à Sé, da Sé ao Pátio de colégio, do Pátio do Colégio ao Minhocão, do Minhocão à Sumaré, da Sumaré pra, êpa, guia da calçada. É, tomei um capote tosco no cemitério da cardeal (prático, né?) e ralei os dois joelhos. Minha mãe, tadinha, até chorou quando me viu :/ Mas foi susto de mãe, tô viva, assim que a casquinha sair, tô na pixta de novo, tá?

Só falar às vezes não tem tanta graça. Aí, inspirada pelo meu amigo fotógrafo que clicou o pedal de hoje, resolviu explicar com imagens.

Taí:




Sábado



Domingo


Por hoje, chega!

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012

Missão CUMPRIDA! (parte 1)

We are the champions... Of the woooorld!



Ontem, enquanto eu terminava minha última série de agachamento, o lindo do Fred resolveu me incentivar e me motivar com seu "And we'll keep on fighting 'till the end!", foi uma feliz coincidência, já que terminava o meu ÚLTIMO dia do desafio! Lembra, que eu tinha falado no meu 1º post que dia 03 de fevereiro eu voltaria com os resultados?

Então...

É hora de ooooola! \o/

É hora de comemorar!

É pique, é pique, é pique-é pique-é pique! É hora, é hora, é hora-é hora-é hora! Rá! Tim! Bum! MARIANA! MARIANA! MARIANA!

1 mês gente!!! O desafio foi CUMPRIDO!!! Eu consegui!!!

Quem acompanha diariamente, sabe bem que foram muuuuitas mudanças e muita evolução nesse último mês...

Como sou humana e herrar é umano, dei minhas escorregadinhas, vocês sabem bem que eu sofri com isso, e, se fosse tudo tããão perfeito, se não existisse o drama, não teria tanta graça né?

Nesses últimos 31 eu dias, quase vomitei com o tal suco detox, mas aprendi a gostar dele; eu fui pra praia com as amigas e resisti a todas as delícias que o mar e uma panela de óleo quente nos oferecem; eu fui a centenas de happy hours e fiquei na caipi fake; eu NÃO comi a picanha mais cheirosa desse mundo; eu preparei comidinhas deliciosas na minha maRmita; eu me esbaldei na seção de orgânicos do pão de açúcar; eu introduzi o tofu na minha vida; eu aboli a nicotina de vez (aquele cigarrinho que quem não fuma, fuma quando bebe, sabe?); eu ganhei uma caixa de bombons e não comi nenhum; eu corri 5k, 5 vezes por semana, religiosamente; eu até tive que aumentar minha carga da musculação; eu comprei uma bike; eu entrei pro pedal da vila; eu tenho grandes chances de ganhar o concurso da firma (merecido, né?); eu fui pra balada sóbria e saí à francesa, porque, honestamente, amo balada, balada é lugar de gente feliz, mas não é lugar de gente saudável, acho que vou ter que conhecer meu futuro grande amor nas pedaladas, corridas e parques da vida mesmo...

E... EU EMAGRECI 5 KG!

Melhor que isso, eu tô aprendendo a mudar, mudar de vez! (ok, não ponho o vídeo do Fernando Vanucci dessa vez! rs) O ciclo sem fim foi a-ban-do-na-do!

Quanta mudança, né? Quanta coisa aconteceu em um mês que poderia ter sido só mais um mês desviando da balança e fugindo do meu problema.

Missão cumprida, adeus!

Ueeepa, pegadinha do malandro! há!

Não, não acabou, tá só começando, mas, depois da temporada detox, pra conseguir seguir em frente, novas regras!

- A lactose: a lactose me fez MUITA falta! 99% dos sanduíches naturais, saladas e receitas lights levam ricota ou mussarela de búfala, ou mesmo queijo de cabra (nham nham). E eu AMO iogurte, tipo, muito! Então, queijos brancos e iogurtes, welcome back!

- O álcool: pééééé, grande erro, né? Uma pessoa que quer mudar, mudar de vez, ter um "quê" de bebum. Mas, fazer o quê, meu nome é Mariana e eu curto um pileque. Não, não quero voltar a pisar na jaca, então, vamos ser realistas: 2 taças de vinho na semana, pode! O resto, continua abolido!

- Café: eu não sou tão fã de café, mas vamos combinar que muitas vezes ele é necessário. Além disso, eu AMO cafés de calçada, o evento "tomar café" é um dos meus favoritos (você pode ler o meu perfil e confirmar isso). Então: 1 xícara pequena por dia: pode.

- Compensar o eventual erro: cada vez que eu, eventualmente, errar, devo correr 20 minutos extras (em velocidade alta). Pensei em 10, mas 10 é muita moleza, fiz isso ontem e to aqui, inteirinha.

No mais, tudo continua igual, fechô?

Só mais uma coisa, eu não só perdi peso e estou ganhando uma bela de uma coxa dura, eu não só diminui minha celulite (e como), eu ganhei muito também. Ganhei seguidores; ganhei um novo hobby; ganhei mais motivação com os coments que vocês deixam; ou toda vez que encontro uma amiga que não vejo há tempos que diz que tá seguindo; ou quando minhas amigas me contam que a mãe, a prima e a tia seguem assiduamente; ou quando encontro os colegas de trabalho no corredor que me cobram novos posts; ou quando pessoas que não vejo ou falo há tempos me deixam recadinhos fofos no facebook.

Essa era a intenção, incentivo. E, além do bikini branco e da minha musa, tenham certeza que vocês são a minha maior inspiração! Aqui fica meu MUITO OBRIGADA!

É isso aí, rumo ao pódio, rumo ao bikini branco, rumo à penelopecruzarização!

'Cause we are the champions, of the wooorld!

Por hoje, chega!

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

Oulala: cuisine française!

Tem coisa mais phyna? Tem coisa mais chiq? Tem coisa mais ryquezah? Tem coisa mais sophistiquée?

Não, eu não falo francês, aliás "Je ne parle pas français" é uma das poucas coisas que eu sei falar nesse lindo idioma. Sei falar também esquerda, direita, "onde fica" e oitenta, uma vez um tio me ensinou e eu achei chique demais essa coisa de "quatre-vingts".

Ãn fãn (enfim, em francês), depois desse show de linguística, vamos ao que interressa, la cuisine!

Quem é que não se lembra do Lumiere convidando a Bela pro banquete em A Bela e a Fera? À... von...tad, à vontad, prrrove a nossa qualidad... Tudo cánta, tudo dánça, afinal aqui é a Frrança! Ah, não é à toa que esse é o melhor conto de fadas, desenho animado e musical de todos os tempos!

Quem é que não fica com água na boca só de pensar na Frrrrança? E quem é que não se impressiona com a magreza e finesse desse povo que tem um menu tão ricamente delicioso?

Depois de visitas lindas e, especialmente, depois que tive a oportunidade de passar uma mini temporada em Versalhes, em uma casinha-de-madeira-no-meio-de-um-bosque com uma linda família francesa, na melhor páscoa que já tive na vida, aprendi (na teoria, porque nunca consegui imitar muito bem) que o segredo deles é: comer poucas e boas comidinhas incríveis e ponto.

De fato, não dá pra se entupir de comida francesa, tudo costuma ser forte, temperado, carregado e incrível para que baste "ãn petit garfad" (uma pequena garfada, de acordo com meu dicionário).

Tô toda saudosista e encantada com a França porque acabo de voltar de um bistrô aqui perto de casa, o Le jazz, sabe? Foi aniversário da minha prima/irmãzinha caçula e comemoramos lindamente e deliciosamente lá, ãnfãlismãn (infelizmente) sem vinho.




Tomei um suco de uva só pelo ritual, tipo a caipi fake da vez, e tudo ficou ainda mais delicioso!

É, não rolou um croque monsier, uma das invenções mais deliciosas da face da terra - nada mais que um misto quente, só que de gruyère (chiq), mas comi uma saladinha Niçoise sensacional e decidi que quando eu for rica vou contratar um chef francês.

Esse jantarzinho suculento, sem vinho e sem sobremesa, me fez pensar em um ensinamento precioso das lindas e magras mulheres francesa: a melhor maneira de ser magro e ter prazer durante as refeições é comer bem. Ou seja, prezar pela qualidade da comida, não quantidade.

Então, atenção: cuidado com esse olho obeso, capricho ao preparar as refeições e um pouquinho de beleza também ajuda na vontade de devorar:


Não é?

Pra fechar deliciosamente: uns cliques meus nesse lindo e saudoso lugar que é a Frrrrança!


Suffit pour aujourd'hui (Por hoje, chega)!

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

"Nessa vila tem pedal"

É assim que se descreve o blog do "Pedal da Vila Madalena" e, tendo participado da experiência de pedalar pela incrível noite paulistana, eu posso soltar um "ou não". Calma, você vai entender.

Você, caríssimo discípulo, bem sabe da minha antiga fissura recém concretizada por essa arte do ciclismo, né? Ciclista de duas voltas no quarteirão, ciclista de infância, no máximo, ciclista de spinning, mas, agora, uma ciclista de verdade e, ainda, noturna, raw!

Sempre achei a maior curtição da vida assistir do bar os descolados de SP perambulando pela cidade em suas bikes... Olha, ser um deles foi MUITO mais curtição!

Pra começar é noite e, ainda que eu AME o dia, tenho a mais plena certeza de que São Paulo nasceu pra noite, depois das 22 hrs tudo muda e a cidade fica, enfim, "vivível", gostosa, com um barulhinho bom e linda, especialmente se vista da minha varanda.

E lá fomos nós, eu e minha querida discípula e amiga Desiree... Equipadíssimas, as duas de bike nova, banco de gel, capacete novo, luvinha, farol traseiro, uau, com certeza a gente ia AHAZAR!

É, não foi beeeem assim.

Pra começar, eu: RETARDATÁRIA! Depois de 4 meses de academia, 1 mês SUPER fiel, 5 vezes por semana batendo cartão, 5k diários, (quase) 5 kgs perdidos: Eu não conseguia subir nem uma inclinação de 5 graus, até a descida era um esforço. O caminho da minha casa até o ponto de encontro dos bikers (que tem uns 10 quarteirões de distância) já me deixou ofegante. WTF?

Pensei, ah, é a subidinha da Mourato, agora que é linha reta vai ser sussa. Nada, eu era a mais suada, a mais vermelha, a única respirando pela boca para andar na República do Líbano que é totalmente PLANA. Mel Dels!

Chegamos no Ibirapuera, meu coração já pulando pela boca e nem metade do circuito cumprido, fomos brincar de dar voltinhas na ciclovia, oh céus, felizmente tinha a opção de parar pra descansar.

Parei. Meu coração batia até no joelho, sério mesmo, eu devo ter usado cerca de 110% da minha capacidade cardíaca. Me senti um cocô, um grande cocô gordo e pesado que impede uma bicicleta de se mover.

Deitei no banquinho, bebi uma água e um dos guias veio me acalmar, falar que é sempre assim no começo e tal, que ele também começou devagar. Entendi, mas não curti NEM UM POUCO ser a retardatária da vez.

Aí, um dos guias falou que meu pneu não tava rodando direito, resolveu dar uma levantadinha na minha bike e rodar meu pneu, ele não se movia, ESTÁTICO. Um parafusinho de alguma coisa que comanda o freio tava frouxo e a minha bike ficou TRAVADA o caminho TODO.

O pessoal do grupo SUPER solícito e atencioso arrumou minha bike ("de grátis")e, quando me deram a bike de volta pra eu testar, minha vida mudou, meu mundo mudou, meu universo mudou e minha perna parou de tremer. Minha bike ANDAVA! \O/

Óbvio que, para mostrar que não sou uma mera retardatária, vim a volta toda com o grupo da frente, a vanguarda, há! Meu condicionamento está condicionado! Ufa!

E, enquanto eu disparaaava rumo ao pódio, uma paradinha, problema no pedal de uma "mina". Tinham várias minas, então, não me preocupei. Começou a demorar. Fiquei curiosa, dei meia volta e fui checar se minha desconfiança estava certa: sim, a mina era a minha amiga!

Não era só um problema no pedal, como CAIU o pedal dela no meio do caminho, oi???

Nisso eu vi que os bikers são praticamente um grupo de auto ajuda, que pra eles não tem tempo ruim, eles cuidam do grupo todo, mesmo. Mais uma vez, pacientemente, resolveram o problema, só pediram pra Deisy ir devagar.

Aí, disparei rumo ao pódio mais uma vez enquanto a De ficou no grupo dos retardatários (ME VINGUEI).

Cruzada a linha de chegada e nada dela aparecer, adivinha o porquê? Caiu o outro pedal!

Ok, eu tinha sido a zoada da noite, mas ela conseguiu me superar. Mas é MUITA competitividade, não? rs

E a pessoa ainda zoa a minha camiseta que ficou levemente manchada pela mochila nota 1000 que mami me deu, cara de pau. ¬¬


Depois das risadas, do sarro que tiraram da gente e dessa noite épica, terminamos exaustas, com o pedal na mão,

comendo um lanche (natural, calma) com nossa nova tchurma de melhores amigos de infância, paquerando o Rafinha Bastos.


3ª que vem, se nos aceitarem, tem mais (com menos emoção, por favor)!

Por hoje, chega!

segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

EU GANHEI UMA CAIXA DE BOMBONS!

Eu não só ganhei uma caixa de bombons, como uma caixa de bombons PHYNOS!

Essa aqui ó:


Um dos diretores aqui da fiRma me deu em agradecimento pelo meu empenho, não é a coisa mais fofa da vida? Quero adotá-lo como meu avô!

Já é bom ser reconhecido, ser reconhecido com 25 bombons phynos é melhor ainda!

A caixa é linda, grande, cheirosa que só, meus "colega" estão suuuper felizes com minha competência, afinal, quem se deu bem no fim das contas foram eles!

Tô distribuindo por aí e não vou comer nenhumzinho, até dói meu coração dizer isso, but, bikini branco, você é meu e de mais ninguém!

Acho que é o castigo que o papi do céu tá me dando por eu ter furado na semana passada, né?

Ok, me sinto punida e posso continuar emagrecendo, fechô!

Pra terminar: minha cara de OH, NO! enquanto distribuía os chocos e comia minha maçã.




E amanhã tem post especial porque vou participar do meu 1º passeio como ciclista urbana *by night*, uhuw! Hoje é só um parêntesis, curtinho tá?!

Por hoje, chega!

domingo, 29 de janeiro de 2012

Pedalando, pedalando na bicicletinha!

Eu comprei uma bike! \o/


Ela não é linda?

Adoro bicicleta, mas confesso que nunca fui uma ciclista assídua. Tinha uma bike quando era criança e, como sou do interior, ia pra cima e pra baixo com ela: inglês, Kumon, casa da vó, todo esse leque de centenas de opções.

Aí, veio a moda dos patins e eu aderi total. Depois acho que devo ter ficado vaidosa e cansei de chegar suada nos lugares, abandonei a bike, os patins, e minha querida mamãe resolveu, sem a minha autorização, doar a bike pro Office boy da loja dela, mas ok, pelo menos ela foi muito útil pra alguém.

Enfim, sempre curti esse “veículo”, mas nunca fui muito fiel a ele. Desde que mudei pra SP penso: eu vou entrar pro night bikers, eu vou comprar uma bike e ir pro parque todo final de semana, uhuw, vou ahazar. Mas a idéia nunca saiu do papel, na verdade ela nunca nem pro papel foi, só ficou na cabeça mesmo.

Tive alguns surtos de geração saúde e aluguei bike no parque, só pra dar uma passeada, duas vezes (que horror!). Ah, e toda vez que vou pra Roma (fui 2 vezes a vida inteira, mas me acho meio assídua) alugo uma bicicletinha dupla que é sensacional e passo a tarde pedalando, como não sei dirigir (é, eu não sei dirigir, me mate) e ela tem o aspecto de um carro eu fico me achando a motorista do pedaço. Aí, nessa última trip, rolou um quase suicídio e eu, uma amiga e minha irmã, resolvemos contemplar a Toscana de bike, na estrada, subindo ladeiras, comendo uva direto do pé nos vinhedos, invadindo propriedade privada pra roubar água, beeeem sob o sol de Toscana (só que com um toque de família buscapé).

Foi lindo, foi incrível e foi o melhor jeito de se conhecer aquele lugar-mais-lindo-do-mundo-onde-eu-quero-passar-a-velhice-colhendo-azeitonas, buuuuuuuuut, a gente quase morreu e o pior que foi em momentos separados.

Eu quase morri porque o freio da minha bike não funcionava e só percebi isso quando descia pela estradinha no maior pau e senti que ia rolar desfiladeiro abaixo (lembro que o Doug usava muito essa palavra, desfiladeiro, quando ele foi com a família pro Grand Canyon). Aí tive a brilhante idéia de brecar com o pé, mas a esperteza fez esse circuito todo de CHINELO. O chinelo voou e eu fiquei no dilema: sacrificar a sola do meu pé ou sacrificar a vida? Aí, rezei fazendo meus últimos pedidos e o Papai do céu me concedeu um deles, deixou a estrada reta e eu não morri. UFA!

Minha irmã e minha amiga quase morreram porque fizeram todo o caminho de volta (por uma estrada de 1 metro de largura e lotada de ladeiras) no escuro. Eu fui resgatada pelo dono da guest house em que a gente se hospedou e só cabia uma bike no carro, pãtz.

Mesmo que eu devesse ser traumatizada, ultimamente, nessa pegada saudável, parei pra pensar em como foram épicas as poucas e boas vezes que equilibrei meu grande bumbum naquela banqueta minúscula, aí, surgiu a fixação por bike.

Respeitei a fixação e comecei a procurar, mas tava tudo TÃO caro que quase desisti, porém, como eu sou muito bocuda, saí falando pras pessoas que eu queria comprar uma bike barata e um amigo do job disse que um amigo que ia participar do Bike Tour e queria vender a bike depois da prova, pelo preço da taxa de inscrição: R$ 200,00. Por uma bike zero bala? Enquanto que a mais barata que eu tinha visto custava R$ 700,00? Uepa, é minha!

Aí hoje fui buscar a tal bike e me propus a voltar nela mesma. O percurso seria Campo Belo – Parque do Ibirapuera – Paradinha no parque – Pinheiros. Pra chegar até o parque fui por dentro de Moema, o bairro tava tranqüilo, sem problemas, só pra cruzar a ponte da Vereador José Diniz pra Av. Ibirapuera, deu um medinho e fui pela calçada. Depois do Ibira, Av. Brasil diretão, daria 10 km no total, super ok!

Pra ajudar o sol resolveu sair do esconderijo, o passeio no parque foi uma delícia, deu pra inaugurar bonitinhamente minha bike, dando várias voltas na ciclofaixa, com direito a paradinha pra descanso, dar uma deitadinha na grama, ler um livrinho e tomar uma água de coco. Curti essa história de ser saudável.

Nesse meio tempo meu radar detectou UM MONTÃO de gatinhos. Tinha gatinho de skate, de patins, de bike, correndo, passeando com seus labradores, empurrando carrinhos de bebê (eu sei que eles são comprometidos, mas pai zeloso é um pitel, né?)... E esses cara styles-curtição-saudáveis são a coisa mais linda da vida.

Pura curtição, pura contemplação e é pra lá mesmo que eu vou todo final de semana. Mais ou menos 20 km de pedalada no total, missão do dia cumprida!

E, só pra terminar, 3ª entro pro night bikers com uma amiga. Depois eu conto como foi, tá?

Ai, cansei.

Por hoje, chega!

sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

MMM... MENTALIZEI!

Gente,

Inspirada nas bizarrices da nossa querida televisão madrugadística (esqueci como se faz referência à madrugada, tipo: tarde/vespertino, manhã/matutino), lembrei de um "chavão" que sempre uso com minha irmã, o MENTALIZEI!!

Depois da paranoia e sofrimento decorrente (to com difculdade para me expressar hoje, bem que o meu horóscopo avisou que minha capacidade de comunicação estaria afetada nesse novo "trânsito", rs) do meu 1º (e espero que único) escorregão... Tô aqui de volta, firme e forte pra continuar e conquistar minha cinturinha de pilão e meu popô de panicat(quete?).

Não ando tão fiel ao blog nessa última semana, teve feriado, recebi visitas em casa, a academia anda me consumindo, tenho chegado em casa louca por um banho e pronta pra pular na cama, sem força ou inspiração pra escrever. Até pensei em malhar antes da labuta, beeem cedinho, pra ter tempo de me dedicar mais ao meu filhote (o blog), mas com o clima horroroso e o trânsito bizonho que tem feito em SP, melhor fazer essa horinha malhando mesmo.

Anyway, pra não voltar a pular a cerca e fugir da raia, resolvi pensar em mantras estimuladores: mentalizar o porquê quero ficar magrinha, linda, gostosa e perfeita (exagerada, nunca).

Então vamos a eles? Mantras/motivos/inspirações, um help que justifique o abandono dos prazeres imediatos que vão me ajudar na conquista do meu futuro corpo perfeito:

1. Vestir a peça de roupa ideal: como vocês bem sabem, o meu eleito foi o bikini branco, que além de mostrar toda a lindeza do novo corpo, vai destacar o meu bronze impecável.
But, também quero saias longas, saias lápis, micros shortizes, vestidos tubinhos, camisas transparentes e uma linda e perfeita regata branca.

2. Correr 10k: eu aqui, me achando porque to correndo 5k por dia, perguntei pra uma amiga (bem gostosa) quantos km ela corre geralmente: ah, de 9 a 12, respondeu ela. ¬¬
Essa moçoila tem um corpitcho incrível e dá pra ver que é alguém que pratica exercício a vida toda (e gosta disso), olha, depois de olhar/invejar toda aquela belezura, pensei: mmm, quero ter essas coxas. Então: a treinar!!!

3. Impressionar um gatchenho: é, admito que na grande maioria das minhas 357 dietas anteriores esse era um motivo crucial, mas, agora que eu sou uma mulher madura e bem resolvida... Continua sendo :P
Não é o máximo imaginar que aquela coisa linda/maravilhosa/apetitosa vai olhar você passando e mandar um "how you doin?"?

4. NUNCA MAIS colocar um shortinho Dr. Ray: se você é magra, não deve saber que porra é essa (sinta-se um ser iluminado se você nunca usou, mesmo), mas, se você é provida de protuberâncias, que seja um popozão, um quadrilzão ou mesmo uma barrigota, você sabe muito bem do que eu to falando: aquela coisa HORROROSA que aperta até o cérebro, que a gente coloca pra ficar "magra" em vestidos de formatura, casamento e afins. Instrumento de tortura (que até faz uma mini mágica, mas não deixa nenhuma gordinha magra) e que dificulta um pouco aquela visitinha ao toalete depois de tomar meia dúzia de tacinhas de champagne.

5. Deixar de ser ponto de referência (ou me tornar um novo ponto de referência):
Antes: Mariana, who? Aquela gordinha que senta perto da baia daquela gostosa, sabe? ¬¬
Depois: Mariana, Who? Aquela gostosa do bikini branco. \o/

6. Não precisar mais tirar foto "daqui pra cima": Sabe quando você vai com a sua tchurma pra praia e tem aquela sua amiga que NÃO PARA de tirar foto de todo mundo e ela pede pro povo fazer pose e alguém solta aquela frase clássica: "daqui pra cima, hein" (colocando a mão de baixo do peito)?? Então, tudo bem que se a pessoa te desobedece, você simplesmente faz uma edição (no paint brush), mas não seria o máximo não ter que fazer plantão no facebook com medo de a pessoa te dar um tag e todo mundo "descobrir" que você tá mega fora de forma?

7. Abandonar acessórios estilosos/disfarçadores: Ok, eu adoro coletes, jaquetinhas, lenços, camisas, meias estilosas, mas, admito, usei MUITAS (e na maioria das) vezes pra disfarçar alguma "sobrinha".
Aquela camisa xadrez vermelha que eu amo: pra disfarçar o quadril;
Aquele coletinho listrado que é um ahazo: pra tampar a barriga;
Aquela meia bordada que é um loosho: cobrir a celulite da coxa;
Aquela boa e velha legging - que é item obrigatório no armário de qualquer gordinha: pra compor qualquer roupa que não fique boa com o jeans apertado.
Eu acho lindo gente criativa, mas não é o máximo ver uma foto da Gisele empurrando o carrinho do bebê com um jeans surrado e uma regatinha branca? Não parece ser a roupa mais confortável da vida? Menos é mais (e aposto que ela nunca passou calor pra ficar "estilosa").

8. Ir a um “beach club” ou a uma “pool party” livre, leve e solta: depois da minha viagem à Croácia isso virou um motivo pra viver, não só pra emagrecer-> abandonar a canga, a saída de praia e curtir uma curtição toda despretensiosa, vestindo nada mais que um bikini (branco) e um ray-ban, talvez um chapéu.

9. Comprar calça jeans sem medo de ser feliz: sabe aquele jeans que te abraça, te aconchega e que dá um lar pra parte inferior do seu corpo? (não, não sei). Sabe aquele temor de ter que sair pra comprar jeans? Sabe aquela deitada na cama que a gente dá pra fechar o zíper? Eu quero experimentar a experiência (quanta ambigüidade) de escolher o jeans que melhor me vestiu, não o jeans que me serviu, ficou um pouco zuado, mas ok se eu usar com uma bata.

10. Não posso revelar, isso aqui é um blog de família.

Então, vamos imprimir essa leestchenha e mentalizar!

MMM... MENTALIZEI!

Por hoje, chega!

quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

"Deixa, deixa, deixa eu dizer...

... o que penso dessa vida, preciso demais desabafar, ô ô, deeeeixa"

Povo do meu Brasil, queridos discípulos, seguidores fiéis, sinto informar, mas eu os decepcionei (tudo bem que 90% dos meus "seguidores" estavam presentes no fatídico momento), eu fui fraca, eu furei.

Pois é, eu bebi.

Bebi e, além da ressaca e do sono do dia seguinte, fiquei com uma consciência tão, mas tão pesada, que ontem até esqueci de comer e não malhei. Fiz tudo errado.

Ontem foi feriado aqui em SP e, na tarde de 3ª, assim, de última hora, falei com uma amiga sobre breguinaites no ap, já que eu to dura e não tava afim de gastar. Um programa sussa, um bando de mulher falando assunto de mulher na varanda de casa. Mas aí ela falou pra outra amiga, que falou pra outra que falou pra outra, aí eu comentei com os colega da firma e de repente, festa na varanda da Mari, 20 convidados, oi?

Aí os colega da firma foram, aí resolveram levar amigos, que levaram amigos e eu fui levada pelo calor do momento. Tudo bem que eu resolvi beber ANTES de acontecer tudo isso. O povo autorizou, aí fiquei feliz e obedeci aos amigos da onça (tô botando a culpa neles pra ver se alivia um pouco a minha, não?). Era pra ser só uma tacinha de vinho, mas aí, sabe comé né... Rolou também um prosecco, um energetiquinho e terminei a noite tomando pinga com mel. Fui a última pessoa a dormir, na varanda em uma banqueta nada ergonômica, vendo um nascer do sol sensacional - acordei (fui acordada) me sentido médio loser.

Tudo bem, tudo bem, dia seguinte tudo voltaria ao normal, voltei a ser saudável (dormi das 7:30 às 10:00, super saudável), fui ao parque, tomei meu sucão detox, comi frutinhas, fui no mc com as amigas e fiquei de espectadora (eu tinha que me punir, chibatadas, tchpá, tchpá!).

O ponto é: fiquei MUITO chateada comigo mesma por não cumprir o prometido, parece que voltei à estaca zero. Fiquei com mega medão de chutar o balde de vez e abandonar tudo, de novo. Afinal, se ainda perdi só 20% do determinado e já me traí, como é que eu vou chegar nos 100? Hein?

Nessa próximas semanas de pré carnaval eu GARANTO (minha garantia não tá tendo muito valor, mas ok) que nada disso vai voltar a se repetir, por mais que seja 1000 ficar bêbado com os amigos, não posso, não devo e não quero me trair de novo. SOCORRO, preciso tirar esse peso da consciência e mostrar um x - 5 na semana que vem pra vocês.

Maldita tentação, saia do meu caminho e deixa EU ser a tentação da vez?

Por hoje, chega!

segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

Top 10: motivos pra levar a MaRmita pra fiRma


Hoje foi o assunto da roda: eu e as "colega" comemoramos nossa dureza, agora que os famosos tem andado com a marmita à tiracolo ficou in
levar a comida pro job! \o/

Eu, particularmente, nunca tive vergonha de admitir minha falência, sou recém formada, recém advogada, recém assalariada, recém pagadora de contas, etc, etc, e a vida não tá fácil pra ninguém, né mesmo?
Então, no top 10 de hoje vamos listar o porquê da moda da marmita - ela também vai te pegar!

10) É in! Várias gostosas/famosas estão nessa: Cláudia Leite (que não pode fazer aeróbico - leia a reportagem e deseje a sua morte DOIS), Carolina Dieckman, eu! E tu???
9) E o menu do dia é..! 4ª é dia de feijoada, 5ª é dia de lasanha, 6ª é dia de peixe. E se você quiser fazer ALOKA e comer peixe na 2ª hein? Leva na marmita que é sucesso!
8)Procedência confiável! Vai saber quantas patinhas tocaram aquela cebolinha engordurada do bifão que você vai tacar no seu pratão... Vai saber quantos meses têm os restinhos daquele "arroz à grega" (mais conhecido como resto da semana com arroz de ontem - em bloco)...
7)Saúde! Você é quem monta, você escolhe a combinação certa, você se vigia, você é quem vai colocar a quantidade (pequena) necessária de óleo, de sal, de tempero. Você provavelmente não vai levar uma latona de coca-cola, nem comprar um bombomzinho no caixa, nem tomar um sorvetinho no meio do caminho.
6) Tic tac tic tac! 1 horinha pra bater o cartão, pegar o elevador, escolher o restaurante, pegar a fila, esperar a lesma que tá na sua frente pegar um grão de arroz por vez, caçar uma mesa, engolir a comida, voltar. Tá loco! E se chove então? Almoçando na firma você tem 60 minutos pra comer com calma e ainda sobra tempo para...
5) Fazer social! Papear, tagarelar, fofocar, dar risada, assistir vídeo no youtube, falar sobre os gatchenhos da fiRma, sobre os planos pro fds, sobre o fds que já passou, sobre o seu blog de sucesso, sobre o chefe, sobre o colega, sobre nada... Reunir a patota é vida!
4) $Economia$ 400 reais por mês só com almoço? Orra! Se fosse uma comida boa, gostosa, delícia, se fosse um momento que você curte, ok, mas 20 conto pra engolir a comida? Tô fora! Gaste menos e coma melhor! Onde já se viu comer shimeji, salmão, salada e frutinha por menos de R$ 10,00? Na minha marmita!
3) Cultura gastronômica! Lá vem ela, de novo! Pense bem, se você ganha VR de qualquer jeito, porque não aproveitar desse dinheiro de mentira que te engana e faz você gastar descontroladamente de qualquer jeito e gastar em algo que preste? Use seu VR em restaurante de verdade, supere o limite diário, poucas vezes, coma bem, coma com qualidade! Aí vale até pedir sobremesa!
2) Solte o mestre cuca que tem dentro de você! Fazer a própria comida demanda criatividade, tempo e organização. Se você for fazer macarrão/miojo todos os dias, honestamente, o quilão é uma melhor pedida, mas se você (como eu) adora cozinhar, ama um supermercado, fica louca quando descobre novos ingredientes, vai ter que descobrir novos pratos na marra! Seu paladar agradece.
1) EMAGREÇA! 4 kg em 3 semanas, gastando menos, comendo melhor. Eu recomendo! Vem comeego!

Por hoje, chega!

domingo, 22 de janeiro de 2012

Run fast for your mother, run fast for your father!



Domingão, cervejão, curtição... Dia de acordar tarde, de acordar de ressaca, de tomar café da manhã ao meio dia e almoçar às 3 da tarde, dia de enfiar o pé na jaca e ficar o dia inteiro com uma preguiça merecida, com o barrigão pra cima... Certo? pééééééééééé, errado!

Esse passado obscuro ficou pra trás e meu atual processo de metamorfose tem acabado com a minha preguiça (lembra que eu tinha reclamado da minha constante ressaca e cansaço, pois é, superados!) e aumentado minha disposição. E, ainda, depois que eu criei o blog, me sinto na obrigação de ter resultados pra exibir aos meus discípulos!

Pois bem, domingão, 10 da matina e eu já dei minha corridinha. Depois de dias e mais dias de chuva São Pedro resolveu dar uma trégua e hoje amanheceu um dia lindo e feliz (bem diferente de ontem - depois eu explico), então, às 8 da matina eu e minha mãe (que é uma gatona, diga-se de passagem) resolvemos levar a Nina (nossa cã) pra passear.

Aí lá fomos nós 4, eu, mami, Nina e meu fiel escudeiro, meu ipod.

E, sinceramente, como hoje eu não to num dia muito piadista, resolvi fazer um post de utilidade pública, já com o link dos vídeos pra você avaliar/ver/ouvir: minhas 10 melhores músicas pra correr. Dá uns bons 40 minutinhos de música, 5k. Lá vai:

1) Dog days are over - Florence + The Machine
2) Walk - Foo fighters
3) You only live once - The strokes
4) Don't stop me now - Queen
5) Little lion man - Mumford and sons
6) We found love - Rihanna
7) Save the world - Swedish house mafia
8) Cough syrup - Young the giant
9) Animal - Neon Trees
10) Gives you hell - The All American Rejects

Tem mais um montão de outras belezinhas de onde saiu essa listinha, mas, essa é a playlist atual e o combinado foi top 10 né? Quem sabe um dia, com a ajuda e sugestões de vocês, não posso fazer um top 100 pra todos nós sairmos magros, lindos, de bikini/sunga branca correndo por aí?

Por hoje, chega!

(*Ontem eu e minha família tivemos que nos despedir de uma querida amiga, a melhor amiga da família, que faleceu, vítima de câncer. Uma das pessoas mais fortes, se não a MAIS forte, que eu já conheci. Alguém que lutou por 4 anos sem NUNCA reclamar e que faz meu desafio se tornar mamão com açúcar. Então em respeito à pessoa incrível que ela foi e que continuará sendo em nossas memórias, vamos levar uma vida mais saudável, cuidar do nosso corpo, da nossa saúde e agradecer todos os dias por sermos saudáveis e termos a oportunidade de ser saudáveis. Saudades*)

sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

Valeu à pena (ê ê)!

Mais uma 5ª feira, mais um happy hour, aquela velha história, água com gás X muitas gordices, cheirosas gordices, suculentas gordices, gordurosas gordices, crocantes gordices, ah, gordices, como eu as amei um dia.

Quantos prazeres, quanto exagero, quanta gula, quantas lambidas de beiço (e de dedos), quantas panelas raspadas, quantos motoboys solicitados, quantos drive “trus” atravessados.

Comer é bom, comer coisas gordas é melhor ainda, taí o x da questão. E, como pensar gordo e pensar sobre comida faz parte da natureza humana, cérebros gordos decidiram inovar.

Começando pelo fdp que resolveu ferver óleo e ver no que que dava, seguido pelo desgraçado que resolveu jogar milho no tal óleo quente (eu AMO pipoca, você não ta ligado), passando pelo gênio que inventa uma bomba calórica DELICIOSA pra manter os soldados do front de batalha nutridos (assim que surgiu o leite condensado, pois é, mari do blog é cultura) e matando o infeliz que deixou o leite coalhar até ficar fedido e fungado e, ter a pachorra de experimentar a caca (pensando bem, queijo é bizarro, né?).

Pois bem, desde o infeliz homem da caverna que descobriu o fogo, até o inventor da fórmula aniquiladora da coca-cola, pessoas geniais deixaram nossa vida mais tóxica, e muito, mas MUITO mais gostosa.

É, sim, um problemão ser gordo. É um saco ser chamada carinhosamente de baleia assassina na escola (calma, esses babacas da terceira série levaram uns belos chutes em seus pequeninos testículos). É bem ruim ser a última a ser chamada pra dançar no bailinho. E perder a vaga no time de futebol, quando você é uma artilheira, então? É bem desagradável a experiência de comprar calça jeans. É bem irritante te elogiarem na apresentação de ballet com o adjetivo “ágil” (gorda que não é uma ameba paralítica?).

Mas, no fundo no fundo no fundo, acho que esses kg extras foram muito bem ganhos, são pneus de primeira qualidade.

Esses kg são fruto de experiências transcendentais, por isso que posso dizer que, de certa forma, valeu à pena (ê ê) ganhá-los.

Assim, depois de uma breve introdução, ao post do dia, 10 gordices que valeram ser engordadas:

10 – Cafés da tarde na casa da vó: todo sábado que vou pra casa dos meus pais é sagrado, passar umas 3 horas papeando (e comendo) na cozinha da Vó Conce. Pãozinho com manteiga, pãozinho recheado com calabresa, biscoito de polvilho, bolo de cenoura, pipoca (a melhor pipoca do mundo, diga-se de passagem), rocambole, café com leite e mexerica (herança do meu vôzinho lindo, que tinha uma certa fissura);
9 – Churrasco dominical de papai: depois do sábado light (not), domingo é dia de churrasco de papi. Picanha, maminha, franguinho, linguicinha, maionese, lambi bigode (receita secreta da família Camargo), muita tubaína, um pouco de cerveja com papai e pudim de Maria mole de sobremesa;
8 – Breguinaites na varanda do AP: já virou point, eu deveria colocar uma placa na porta de casa “breguinaites no AP”, que ia bombar. Explicando: sempre que não temos o que fazer, meus amigos e eu vamos ao pão de açúcar, compramos breguinaites (doritos, amendoim, batatinha, torradinha, patê, queijinho, pizza congelada) e cerveja e ficamos jogando conversa fora e vendo a antena da band brilhar. A versão a invernística de breguinaites no AP é mais refinada, ficamos do lado de dentro, contabiliza-se uma garrafa de vinho por cabeça, 200 kg de queijo e uma dipirona pro dia seguinte;
7 – Larica pós balada: não entendo como a vida boêmia engorda, afinal, não tem lugar que se gaste mais energia que uma balada, é um tal de dançar, conversar, pegar bebida, ir no banheiro, paquerar, ir pro fumódromo, voltar, enfrentar a fila da bebida de novo, orra, maior gastação de calorias, não? A pergunta é: você já saiu da balada sem fome? Sem vontade de devorar aquele milho verde da augusta? Pode ser mc também, pode ser subway, pode ser meia dúzia de temakis, pode ser strogonoff amanhecido, por ser resto de pizza, podem ser as sobras da ceia de natal, pode ser pão com ketchup. Mas é preciso comer.
6 – Rodízio de japa: 8 fatias de sashimi de salmão e uma saladinha de sunomono. 1000, escolha saudável. Mas, 8 fatias de carpaccio de salmão, 20 sushis, 30 sashimis, 2 temakis, algumas guiozas, camarãozinho empanado, harumaki, banana flambada... Acho que é médio exagero, né? Especialmente se você comer isso praticamente toda semana. Mas, rodízio e open bar sem dar prejuízo, não tem graça.
5 – Pizza de domingo. Ou de 4ª, ou de 3ª, ou mesmo de 2ª, como na minha despedida muito bem aproveitada e comida dessa vida glutona. Pizza é tudo, pizza é vida. Não preciso falar mais nada.
4 – Cultura gastronômica. Como viajar pelo mundo e não experimentar as comidas típicas? (como se São Paulo não oferecesse tudo isso e muito mais). Como ir à Itália e não engordar 3 kilos comendo massa e bebendo vinho em todas as refeições e gelatto nos intervalos? Como ir aos EUA e não comer bacon e omelete no café da manhã e brownies, dougnuts e bagles nos intervalos? Como ir ao nordeste e não se acabar na tapioca? Como ir à Bahia e não comer vatapá e acarajé? Como ir à França e não se acabar nos queijos e nos macarrons? Como? Como? É, não tem como, o jeito é comer e comprar uma calça nova no meio da viagem mesmo.
3 – Porções de bar. Cerveja combina com amendoim e com pastel e com batata frita e com calabresa acebolada e com escondidinho e com bolinho de bacalhau e com uma bela úlcera. Quem é que não AMA petiscar?
2 – Encontro semanal com as amigas: botecos, bistrozinhos, restaurantes, cafés, minha casa e breguinaites, casa delas e breguinaites, churras anual, festa junina, viagens de fim de semana, encontrar as amigas é curtição, encontrar as amigas é vida (mais vida que pizza)!
1 – “Celebration time” (come on!): me explica como é que se comemora alguma coisa sem exagero? Festa junina sem bolinho de frango (especialidade da minha terrinha) e quentão? Aniversário sem bolo? Final de semestre da faculdade sem cerveja? Aprovação na OAB sem porre? Colação de grau sem champagne (e jantar no rubayat - te amo papaizinho lindo)? Natal sem peru? Réveillon sem curtição e vodka?

O 1º lugar é merecidamente merecido por ser muito recente, 2011 foi ano de terminar a faculdade, comemorar, comemorar e comemorar, comendo, bebendo e curtindo muito. Foi ano de fechar ciclos (esse ciclo sem fim) e de, mais uma vez, comemorar muito. Valeu MUITO à pena e eu repetiria todo ele de novo.
O resultado já conhecemos: X kgs que devem se converter em X – 20 em breve. Também já sabemos que o ciclo se fechou, agora chegou a hora da minha versão gostosa e comedida participar disso tudo e vamos torcer pra próxima lista de gordices contenha: jantares pagos pelos meus admiradores.

Vamos deixar a comida de lado e focar no bikini branco. Fechô?

Por hoje, chega!

quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

1000 visitas!



Posso falar? Tô médio emocionada. Tô tocada, tô chocada! Tô me sentindo a Michela Telosa! Tô me sentindo a Carrie (na versão gordelícia)! Tô me sentindo a Becky Bloom! Em suma, tô me sentindo!

Eu, uma verdadeira celebridade! 1000 visitas em menos de 10 dias! Desse jeito eu vou MESMO ser entrevistada pelo Jô, pela Gabi, pela Ellen Degeneres, até pela Oprah!

Ok, de volta ao planeta terra com um post fresquinho pra VOCÊ, discípulo! Post comemorativo!

E o tema de hoje é: 1000 motivos para seguir meu blog e me tornar uma pessoa famosa.

1) Eu posso mandar um beijo pra você, caro discípulo, quando eu receber o oscar de melhor blog do ano;
2) Você vai ver a foto de uma gostosa de bikini branco (se você preferir posso fazer um vídeo correndo na praia, estilo baywatch);
3) O mundo ganhará um admirável bumbum novo;
3) O CQC ganhará uma nova representante do sexo femino (e eu vou poder paquerar o Rafa todos os dias!);
4) A MTV vai ganhar uma nova VJ (e eu vou poder paquerar o Bento todos os dias!);
5) Two and a half man ganhará uma nova piriguete (e eu vou poder paquerar o Ashton todos os dias);
6) Big bang theory vai ganhar uma nova nerd(e eu não vou paquerar ninguém);

...

"Planeta terra chamando, planeta terra chamando"! (Quem é que não AMA o Lucas Silva e Silva?)

Pois bem, por enquanto essas são as projeções que eu tenho para quando o mundo me descobrir. Céus, quantos planos, quantos contratos, quantas propostas!!

Eu poderia continuar, mas tô com sono, tô suada e, ainda por cima, tenho que escovar os dentes, puta trabalheira do caramba(alho) que dá essa hora pré dormir, quero uma máquina dos jetsons já! (essa será uma das exigências pra quem quiser me contratar! máquina dos jetsons no camarim ou nada feito!)

E como eu dizia (objetividade é o meu forte), semana temática, então, fique atento, chame os amiguinhos, ative o botão de compartilhar, porquÊÊÊÊÊ: a cada dia da semana vai sair uma lista fresquinha dessa cuca genial aqui! As 10 melhores gordices da minha vida, os 10 piores micos que a gordice me fez pagar, os 10 piores elogios que um gordo pode receber, 10 paqueras que inspiraram meu lado magro, 10 qualidades das pessoas magras que eu quero imitar, 10 magros que deveriam ser gordos, 10 caras gatos que vão querer me pegar, enfim, você, discípulo inteligente e sagaz sacou né?

Ah, discípulo sagaz, tem mais, eu aceito sugestões de temas, afinal (apesar de eu ler e reler cada post trocentas vezes e ser minha própria seguidora) o post é escrito pra você! Fique atento! Compartilhe, comente, divulgue!

Rumo aos 10.000!

E, pra terminar, não podia faltar a minha, a sua, a nossa OOOOOOOOOOOOOOLA!!!! \o/

Por hoje, chega!

Receita do dia!


Pra comemorar o sucesso das 1000 visitas, teve jantar especial!

Macarrão de pupunha!

Aprenda a comer massa sem engordar clicando aqui!

Eu S2 Supermercado

1:16 da manhã e eu aqui cuidando do meu mais novo filhote. Sair da academia às 22:00, ir pro Supermercado às 23:00 e preparar a marmita pra levar pra firma amanhã... É, essa vida de futura-magra-de-bikini-branco-rycah-e-famosa não é fácil não, esse tal de ciclo sem fim é a maior canseira. E como eu cansei de comer só prato frio por preguiça de cozinhar e eu não quero cansar do detox nunca nessa vida (porque 3 kg em 2 semaninhas, vamo combinar que não ta fácil pra ninguém acima dos 14 anos, né).

Aí, mesmo cansada, e com a maior olheira de panda da vida, depois dos 7 (SE-TE) km cumpridos, resolvi dar um rolê em um dos meus lugares preferidões no mundo – o pão de açúcar (não, não tem patrocínio, buuuut, grupo pão de açúcar, se VOCÊ estiver lendo, aceito uns produtos taeq na faixa).

Tchanãn, essa semana vai ter arroz (eu não gosto de arroz, juro, mas to louca de vontade. Há, que loucura, menina!), vai ter macarrão! Vai ter brócolis! Vai ter palmito pupunha (to chique ou o quê?)! Vai ter peixe grelhado (que, BY THE WAY, veio com a ESCAMA! Ma-no, se eu compro o treco mais caro, embrulhadinho na bandejinha é porque eu NÃO quero ter trabalho #ficaadica, pão de açúcar e obrigada por fazer eu me sentir uma assassina serrando o pobre peixe – que ficou delicioso)!

Bom, como sempre eu dei uma volta nada a ver e esqueci do que eu tava falando.

Ah, eu tava falando que eu adoro supermercado (talvez esse seja um dos motivos da necessidade da dieta, hum, interessante). Vou umas 3 vezes por semana pra ver as novidades e as “oferta” (tipo velhinha na farmácia). Supermercado, pra mim, é lugar de relaxar, pensar na vida, ter ideias (incluindo o insight que me levou a criar o blog), é "lugar de gente feliz".

E eu gosto de ir sozinha, curtir um Djavan na rádio pão de açúcar, ir à ilha de queijos e não comprar nada (porque não posso comer laticínio, não porque sou pobre e não posso pagar 17 reais em 5 gramas de brie, nunca na vida), passar no corredor de vinhos, olhar todos (e comprar sempre aquele que tá na promoção pro “cliente mais”), paquerar o gatão da frente na fila mais longa do MUNDO (nunca gostei tanto de uma fila como nessa madrugada inesquecível), ler as revistas na fila do caixa e ver que a Teresa Cristina vai colocar uma cobra no carro da mina, que o cara do bbb ganhou do Rodrigão no Mr. Universo, que a Juliana Paes já perdeu a barriga da gravidez e que alguém em algum lugar do país perdeu 47 kg tomando farinha de manga (aí você compra a tal revista “Conta Mais” e a reportagem fala: Zuleide perdeu 47 kg tomando suco de manga PONTO).

Aiai, quanta curtição. Mas, mesmo com tooooda essa diversão (todo mundo tem uma diversão estranha, vai) o que eu mais gosto é quando eu faço uma compra digna (porque, vamo combinar, to-do mun-do repara no que o gordinho ta comprando, eu reparo e sou do time). Verde, limpa, pequena, sem exageros e futuras sobras, super integral/sustentável, essa foi minha compra. Hoje acho que eu fiz a compra mais digna de toda a história desse país. Humilhei a modernete (eu também gosto de classificar o estilo da pessoa da frente e da detrás da fila) que tava comprando miojo na minha frente e o barbudo comprando doritos e cerveja atrás. Saí do caixa toda orgulhosona, pohan, os únicos itens “industrializado” da minha compra eram: arroz 7 grãos e macarrão integral. Nunca ninguém ia ganhar de mim.

Aí, no caixa ao lado, uma mina que media 6 metros e pesava 2 quilos resolveu comprar a feira inteira só pra ela e, ainda por cima, não colocou NADA na sacolinha, TUDO em caixa de papelão.

Espero de verdade que quando eu ficar magra alguém sinta de mim a inveja BARRA admiração que eu senti dela.

Por hoje, chega!

terça-feira, 17 de janeiro de 2012

É o ciclo sem fim

“Nants ingonyama bagithi Baba,
Sithi uhm ingonyama,
Nants ingonyama bagithi baba,
Sithi uhhmm ingonyama”


Inspirada pela minha, pela sua, pela nossa infância e pelo meu, pelo seu, pelo nosso Simba, venho aqui falar às minhas lindas discípulas sobre ele: o meu, o seu, o nosso ciclo, esse ciclooo... Esse ciclo... sem... FIM! [Levanta o Simba!] Todas reverencia (ah, eu tinha que homenagear a Katylene em algum momento)!

Depois de aprender a falar um pouco de “africano” (e descobrir que essa é mais uma música que eu cantei erradamente por toda a minha vida), vamos ao que interessa!

Hoje eu completo 2 semanas de dieta e 1 semana de blog (É 3, é 2 é 1 é Ana, viva Mariana! Viva Mariana!)!!! Todo mundo já sabe qual a proposta, já conhece o cardápio e já avaliou minha performance. E, o melhor, eu me surpreendo a cada dia comigo mesma e com a capacidade que eu tenho de dizer não.

Caipirinha? Não. Bolachinha? Não. Vodkinha? Não. Cervejinha? Não! Cupcakezinho? Não! Sorvetinho? Não. Pãozinho? Requeijãozinho? Doritinhos? Bombomzinho? PICANHINHA? Não! Não! Não! Não! Não! (juro que não fui tão agressiva quando neguei tudo isso! rs... E, anyway, agora, as pessoas já pararam de me oferecer mesmo. Se um dia eu quiser me negligenciar vou ter que ser a protagonista do Missão Impossível 5).

Depois de taaanta negação eu parei pra pensar, aí, eu pensei (ah, vá!), refleti, filosofei, me entrevistei e comentei comigo mesma: pohan, que desde que eu tenho 16 anos (última e única vez em que fiquei magrinha) eu não passo por tanta restrição! Aliás, deesde que eu fui inserida ao mundo obscuro da cerveja, da party, da curtição, eu nunca mais consegui passar 2 míseras semanas seguidas em uma dieta, sempre dava a famosa fugidinha “só hoje”. Pois é, Michel Teló.

Como minhas (meus também, sem preconceitos, machos lindos do meu coração!) discípulas(os) bem sabem, eu já passei por todo o tipo de provação, só faltaria uma festa do tipo open bar pra completar, mas meu bolso não permite esse tipo de extravagância no momento e eu me recuso ir a um evento do tipo sem dar prejuízo (já que, geralmente, é a maior batalha épica conseguir encher seu copo, vide botas foras e afins).

E, depois de tanto refletir, pensar, me entrevistar e filosofar percebi: eu saí do famoso ciclo sem fim!!! (ooooooooooooolaaaaaaaa!!!!!!! \o/).

É. Eu parei de pensar que HOJE é o último dia da vida em que eu vou exagerar e prometer que amanhã eu começo a correr, que amanhã eu vou fazer feira, que amanhã eu tomo o suco detox, que amanhã eu paro de pedir pizza, que amanhã eu abandono a cervejinha. Parei. Mudei, mudei, mudei de vez (posso colocar o vídeo do Fernando Vanucci de novo?).

São só 2 semanas, eu estremeci, eu emputeci, mas eu não falhei! Ainda, infelizmente, não consegui cumprir a promessa do exercício diário, mas o mínimo que fiz foram 5 vezes em uma semana, eu to chegando lá! E, olha, a maior “extravagância” que eu fiz até agora foi comer a cebola da linguicinha acebolada desse final de semana e lamber a colher do mel que coloco no suco detox (mas ela faz parte da receita e eu devo seguir a medida corretamente! rs).

Eu tenho conseguido e vou continuar conseguindo resistir. Inclusive, já aviso, os 30 dias estipulados na inauguração do blog se prolongarão. Vou criar novas regras, talvez eu me permita uma taça de vinho semanal, tudo depois dos 10 kg iniciais, claro, chega de auto negligência (ou seria indulgência? Acho que os dois).

Acho que estou encontrando o meu caminho rumo à magreza, à saúde e ao BIKINI BRANCO, guiada pela dor e a emoção, neste ciclo, neste ciclo sem fim! [Levanta o Simba! Todas reverencia!]

Por hoje, chega!